Agroecologia

A produção de alimentos, ervas, temperos, flores e plantas na Quinta das Tarumãs tem como princípio o trabalho alinhado com os ciclos da natureza.

Além de utilizar compostos e fertilizantes feitos localmente, sem aditivos químicos, os sistemas de cultivo incluem a parceria entre espécies, inclusão de plantas aromáticas para regular a presença de insetos, planejamento dos canteiros com a melhor insolação e proteções naturais como quebra-ventos, valos de drenagem e irrigação.

Conhecer a terra com a qual trabalhamos foi fundamental para irmos entendendo aos poucos sua dinâmica. Não só descobrir a microbiologia do solo, mas entender rotineiramente seu estado. Há dias em que está mais úmido, ou mais seco, ou há espaços com maior concentração de matéria orgânica, outros com menos.

Tem sido um valioso aprendizado conviver com as plantas espontâneas, também. O desafio é entende-las como sinalizadoras da situação da área e procurar nos adaptar mutuamente a melhor situação para a produção de alimentos.

Os movimentos do tempo e do clima exigem a conexão diária com o planeta. Embora as estações do ano estejam em transição, aqui no sul ainda as temos mais bem definidas. Os grandes ciclos de plantio e colheita são claros e determinam nossa agenda. Então vem o clima com seus períodos de estiagem e chuvas, ventos e neblinas. Para tudo isso “olho vivo e faro fino”: atenção e percepção!

A propriedade contempla um espaço de cultivo – Potager; uma sala de processamento de alimentos para o sistema Ayurveda; uma pequena pousada, com capacidade para até seis pessoas; uma construção de inspiração nas residências do século XVII no sul do Brasil e um galpão para oficinas e cursos com capacidade para receber até 15 pessoas.

TURISMO

Venha conhecer a Quinta das Tarumãs

“Praticar a agroecologia, viver a história”

“Linda pousada na Quinta das Tarumãs”

MÉTODO DE GESTÃO

A Quinta das Tarumãs tem sua gestão baseada nas orientações do Manual de Procedimentos da Associação dos Produtores Agroecológicos da Região Metropolitana de Porto Alegre – RAMA, que segue a Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003, e nas Boas Práticas Agrícolas e Rastreabilidade, a partir de capacitação recebida do SEBRAE RS. Estas linhas de trabalho garantem a estratégia do plantio orgânico na nossa missão agroecológica.

Para conquistar e manter a Certificação Orgânica, pela avaliação do sistema participativo da RAMA, a propriedade mantém registros de práticas de plantio, cultivo, colheita e pós-colheita. Os principais documentos são:

BIOMAPA

PLANO DE TRABALHO – POTAGER

Acreditamos no estudo contínuo como forma de aprimorar as práticas agroecológicas, por isso participamos de diferentes cursos, oficinas, grupos de pesquisa, saídas de campo em assuntos relacionados a compreensão do solo, métodos de cultivo, processamento de alimentos e outras práticas de sustentabilidade ambiental e econômica.

Algumas capacitações realizadas nos últimos doze meses foram:

  • IV Seminário Regional de Plantas Bioativas e de Homeopatia (EMATER/UPF – Passo Fundo/RS);
  • Seminário de Tendências e Oportunidades em Horticultura (SEBRAE RS/ SENAR/ FARSUL – Rio Pardo/RS);
  • Agroflorestas para restauração de ecossistemas florestais (EMBRAPA, Estação Experimental Cascata – Pelotas/RS);
  • Dia de Campo em Agroecologia (EMBRAPA, Estação Experimental Cascata – Pelotas/RS);
  • Oficina de conservas e geleias de frutas nativas (RAMA – Porto Alegre/RS);
  • Saboaria Artesanal (InebriArte/PGDR/UFRGS – Porto Alegre/RS);
  • IX Conferência Municipal de Agricultura e Abastecimento (Prefeitura Municipal – Porto Alegre/RS);
  • Curso de Processamento de Frutas e Hortaliças – Modulo Doces (CEFAS/EMATER RS – Caxias do Sul/RS).

 

Conhecer a terra com a qual trabalhamos foi fundamental para irmos entendendo aos poucos sua dinâmica. Não só descobrir a microbiologia do solo, mas entender rotineiramente seu estado. Há dias em que está mais úmido, ou mais seco, ou há espaços com maior concentração de matéria orgânica, outros com menos.

Tem sido um valioso aprendizado conviver com as plantas espontâneas, também. O desafio é entende-las como sinalizadoras da situação da área e procurar nos adaptar mutuamente a melhor situação para a produção de alimentos.

Os movimentos do tempo e do clima exigem a conexão diária com o planeta. Embora as estações do ano estejam em transição, aqui no sul ainda as temos mais bem definidas. Os grandes ciclos de plantio e colheita são claros e determinam nossa agenda. Então vem o clima com seus períodos de estiagem e chuvas, ventos e neblinas. Para tudo isso “olho vivo e faro fino”: atenção e percepção!

A propriedade contempla um espaço de cultivo – Potager; uma sala de processamento de alimentos para o sistema Ayurveda; uma pequena pousada, com capacidade para até seis pessoas; uma construção de inspiração nas residências do século XVII no sul do Brasil e um galpão para oficinas e cursos com capacidade para receber até 15 pessoas.

CENTRO DE ESTUDOS

Você já conhece nossos cursos?

Queremos compartilhar nosso conhecimento com outras pessoas

RECONHECIMENTO DE PLANTAS

Considerando primordial o reconhecimento das plantas com as quais convivemos, sejam elas nativas, naturalizadas ou exóticas, mantemos registros atualizados com a maioria das espécies existentes.

O documento Inventário de Plantas se sobrepõe ao Caderno de Campo ao detalhar especialmente as plantas de aspecto aromático ou fitoterápico.

POTAGER

Nosso modo de viver exige que tenhamos arte por perto. Acreditamos que ela pode estar na simplicidade de uma música ao violão, de um poema ou de um jardim. O planejamento da plantação em formato de Potager (potage em francês significa sopa, então um Potager é o local onde podemos encontrar tudo para uma boa sopa!), traduzido livremente por Jardim Culinário, pretende uma estética que interfere na natureza de modo suave. Mesclamos cores, texturas, profundidades, alturas, para ressaltar as belezas já existentes.

A inspiração para o desenho do Potager na Quinta das Tarumãs vem dos jardins culinários da França, com mais liberdade para o desenho natural da área e da vegetação nativa que aqui vive.

SERVIÇO DE ENTREGAS

A entrega de cestas de produtos orgânicos e artesanais iniciou nos primeiros meses de 2020, atendendo três necessidades: a Quinta das Tarumãs estava com excedente da safra de verão e ofereceu aos amigos e amigas mais próximas; produtores da localidade tiveram suas atividades de feira reduzidas pela necessidade de distanciamento social, assim como os consumidores, em razão do risco de contaminação pelo Covid 19.

Neste contexto, firmamos parceria com o Sítio dos Herdeiros, Sítio Santa Fé, Cañada Libertad Orgânicos, Laticínios Benolle e xxxx, todas unidades de produção certificadas pela RAMA, para a composição das cestas que oferecemos semanalmente em Porto Alegre.

VEJA COMO FUNCIONA

PARCEIROS
CERTIFICAÇÃO
ALIMENTOS ORGÂNICOS CERTIFICADOS
ARMAZÉM